Carreira

3 mulheres empreendedoras para inspirar a sua carreira

Por trás de cada pessoa vencedora, há um caminho com muitas dificuldades enfrentadas, que muitos de nós nem imaginamos. São lindas histórias, e inspirar-se nelas nos ajuda a passar pelos nossos desafios com mais perseverança. Os exemplos são vários, principalmente se o assunto for mulheres empreendedoras.

Quando falamos em empreender, é importante ter em mente que isso significa muito mais do que simplesmente abrir um negócio. Empreender é, acima de tudo, escutar muitos “nãos” e é tentar o sucesso durante muitos anos. No entanto, é, também, encontrar, dentro de si, a força, a dedicação e a resiliência até então desconhecidas.

Separamos 3 histórias de mulheres empreendedoras, para você se deixar influenciar. Olha só!

1. Luiza Helena Trajano

Quem vê, hoje, o tamanho do sucesso da Magazine Luiza nem imagina que a empresa começou com uma pequena loja no interior de São Paulo. Iniciada pelos tios de Luiza Helena Trajano, a marca, no começo, não era conhecida e só atendia os moradores locais.

Para ajudar no sustento, Luiza Helena começou a trabalhar, na loja, como simples vendedora. Em 1991, assumiu o comando. Em 2008, conseguiu se tornar presidente. Um dos grandes reconhecimentos veio quando foi eleita, pela revista Forbes, uma das 3 mulheres mais influentes no Brasil.

Atualmente, Luiza Helena lidera mais de 800 lojas espalhadas pelo país e 23 mil funcionários. Todo o sucesso não tirou sua humildade. A empreendedora conta que, até hoje, faz questão de responder pessoalmente os e-mails que recebe.

2. Sônia Hess

Seu Duda havia recebido a incumbência de ir a São Paulo para reabastecer a vendinha da família. Por engano, comprou muito mais tecido que o necessário, o que preocupou sua esposa, Dona Lina. As coisas não eram acessíveis, na época, e ter um estoque maior que o necessário era sinal de prejuízo.

Com espírito empreendedor, Dona Lina transformou a ameaça em oportunidade. Com a ajuda de costureiras, conseguiu fazer camisas, que foram vendidas rapidamente. Nascia, aos poucos a Dudalina. 

Sônia, filha do casal, desde criança, acompanhou a trajetória e toda a dificuldade de perto. Apesar de tudo ir bem, foi a partir do momento em que ela assumiu a presidência, que a empresa começou a crescer, tornando-se a maior exportadora de camisas do país. 

Enquanto isso, a vida pessoal de Sônia não ia muito bem: precisou lidar com a morte da mãe e a descoberta de um câncer no seio. Todavia, o sucesso do empreendimento fez com que houvesse grandes interessados em uma fusão.

Depois de toda a luta, Sônia, a fim de voltar seus interesses para projetos sociais, também, decidiu entrar em um acordo com a Restoque, grupo pertencente a grandes grifes, como Le Lis Blanc, Bo.Bô, Rosa Chá, John John. Com faturamento anual de, aproximadamente, R$500 milhões, passou apenas 50% da empresa.

Hoje, Sônia, com mais de 60 anos de idade, leva a vida tranquila que desejava.

3. Zica Assis

Vinda de uma infância difícil e tendo que trabalhar desde cedo, Zica Assis nem imaginava um dia ser tão reconhecida. O primeiro emprego veio enquanto suas amigas ainda brincavam: aos 9 anos de idade, como babá. Passado o tempo, aos 21, fez um curso de cabeleireira com a intenção, apenas, de aprender a cuidar das próprias madeixas, crespas.

A identificação com a área aconteceu de uma forma tão intensa, que Zica começou a sonhar em abrir um negócio especializado em atender mulheres com cabelos cacheados e crespos, como os seus.

Seu marido, acreditando em seu talento, vendeu, na época, em 1993, o táxi que tinha. Zica usou o dinheiro para fundar o Instituto Beleza Natural. Hoje, a marca conta com mais de 100 salões de beleza distribuídos pelo país, além de produtos específicos para esses tipos de cabelos, vendidos, também, pela internet. 

Exemplos de mulheres empreendedoras não faltam. E o que percebemos é que por trás de todo sucesso teve também uma estrada com muitos obstáculos. No entanto, a persistência e a determinação foram a base para o sucesso de todas.

Gostou do artigo? Então, siga-nos nas redes sociais — FacebookInstagram, Twitter e YouTube — e acompanhe, de perto, outras histórias inspiradoras, além de informações importantes para seus estudos

You may also like
TALK SAÚDE
Engenharia e arquitetura: quais são as oportunidades de mercado nessas áreas?
Psicologia, pedagogia e psicopedagogia: entenda suas diferenças

Deixe seu comentário

Seu comentário*

Nome*
Site