10 dicas para planejar e organizar sua rotina de estudos

10 minutos para ler

A rotina de quem estuda nem sempre é um mar de rosas. Existem várias circunstâncias (como distrações, matérias a serem revisadas, dificuldades de concentração) que acabam fazendo com que o dia a dia do estudante seja um campo de batalha. Uma tática eficiente para vencer essa guerra é organizar uma rotina de estudos.

A organização ajuda a manter o foco no que realmente importa, otimizando o tempo e ainda melhorando o rendimento. Quer aprender a colocar ordem no seu cotidiano? Então continue a leitura e confira todas as nossas dicas valiosas!

Por que todo estudante deveria criar e seguir uma rotina de estudos?

Todo mundo sabe que manter uma rotina organizada é muito importante — e isso serve para a vida profissional, acadêmica e pessoal. Mas a verdade é que poucas pessoas, de fato, conseguem fazer e seguir um planejamento que otimize o tempo.

Você, com certeza, deve ter conhecido alguém que tentou manter uma rotina de estudos por alguns dias e logo desistiu, afirmando que esse tipo de planejamento não surtiu efeito. Talvez você mesmo já tenha passado por isso.

Manter uma rotina de estudos é como frequentar a academia: os resultados não aparecem de um dia para o outro. No entanto, com o passar dos meses, você vai perceber várias melhorias na sua vida de estudante.

Uma das principais vantagens de seguir uma rotina de estudos é desenvolver disciplina. No início pode parecer difícil ter um horário para estudar, fazer pausas pequenas na hora certa, cumprir o cronograma e não deixar nenhum dever de casa em branco. Com o tempo, tudo isso naturalmente se torna parte do seu cotidiano e o que antes era difícil de ser seguido se torna um hábito.

Outro benefício de estudar todos os dias conforme o planejamento é que o seu cérebro vai conseguir assimilar melhor todo o conteúdo estudado. Quando você estuda toda a matéria um dia antes da prova, o seu cérebro está sendo bombardeado com um monte de informação nova e, por isso, não consegue armazenar tudo na memória de longa duração. Dessa forma você está apenas decorando informações e não aprendendo.

Por outro lado, quando você estuda um pouco por dia, o seu cérebro tem tempo para assimilar e armazenar corretamente toda a informação nova. Portanto, é correto afirmar que o estudante que segue uma rotina de estudos aprende mais e tem mais chances de se dar bem nos vestibulares.

Como fazer um plano de estudos eficiente?

1. Defina a sua rotina diária

Comece observando a sua rotina e descubra quanto tempo tem livre para se dedicar aos estudos. Aproveite para tomar algumas decisões difíceis, como cortar as atividades que são dispensáveis. Para isso, você precisa se conhecer bem e fazer um planejamento de longo prazo — ele é importante para determinar o que será feito durante a jornada.

Além disso, organize um espaço para poder estudar. Coloque nele, em local visível, o objetivo que justifica os estudos. Essa mensagem ajudará nos momentos difíceis, lembrando qual é a sua verdadeira prioridade.

Em uma folha de papel ou planilha no computador, anote todas as atividades que você tem e seus respectivos horários. Inclua a hora de acordar, dormir, tomar café da manhã e até levar o cachorro para passear. O objetivo é conseguir visualizar todos os seus compromissos.

2. Monte um cronograma com os seus horários

Pegue as anotações feitas e verifique quais são os horários livres que você tem para estudar. Some tudo e veja, em horas, qual é a sua disponibilidade. Se o tempo total for inferior ao necessário para que você consiga revisar as matérias, fazer simulados e realizar as leituras obrigatórias, é sinal de que algumas atividades precisam ser revistas.

Outro ponto necessário para organizar a rotina de estudos é analisar quais são as suas demandas diárias para ser capaz de aproveitar cada minuto possível para estudar. Em vez de desperdiçar o tempo com redes sociais, séries ou papo com os amigos, concentre-se para absorver o conhecimento que foi visto em sala de aula.

3. Selecione as matérias para estudar

Separe as matérias para estudar, utilizando como critérios o peso que terão no seu resultado e a dificuldade para aprendê-las. Pegue uma folha de papel e, no topo, coloque as disciplinas que têm mais peso na sua prova. Divida a parte inferior em duas e, do lado esquerdo, ponha as matérias com menor peso e, do direito, as complementares.

As matérias que têm maior peso ou são mais importantes devem ser estudadas de 1 a 2 horas por dia. Já as de menor peso devem ser revistas diariamente por cerca de 30 a 60 minutos . Por fim, as complementares podem receber de 10 a 20 minutos de sua atenção diária.

Você também pode fazer esse cálculo levando em consideração as matérias que você tem mais dificuldade. Matemática, física e química geralmente têm peso maior nas provas, no entanto, se você tem facilidade com exatas, então use a maior parte do seu tempo para se dedicar às matérias de humanas e biológicas.

4. Crie um ciclo de estudos flexível

A rigidez de um cronograma fixo pode fazer com que você se desmotive e deixe de estudar uma determinada disciplina. Uma rotina sempre pode conter imprevistos, portanto, prepare-se para mudanças de última hora.

Diante de um compromisso que acabou de surgir, pegue o seu planejamento e reordene os horários para que seja possível estudar em um horário alternativo. Caso seja necessário, inverta a programação do dia.

5. Estabeleça um período para descansar

Por mais que digam que você precisa estudar sem parar, é importante saber que o descanso e o lazer são fundamentais para o seu aprendizado. É compreensível quando há, durante a semana, um curto espaço de tempo para se dedicar aos estudos — diferente do sábado e do domingo. Nesse caso, é necessário maximizar o tempo para conseguir aprender.

Mesmo que essa seja a sua situação, saiba que a pausa entre uma matéria e outra é essencial para a qualidade do seu aprendizado. O cérebro é como os outros músculos do corpo. Ele precisa de um tempo para assimilar o que está aprendendo e, mesmo em repouso, continua consolidando informações na memória.

Pular o momento de descansar ou se divertir gera uma estafa mental, prejudicando sua concentração e aumentando a chance de procrastinar. O mais difícil não é organizar a rotina de estudos, mas cumpri-la.

6. Determine um método de estudo

Mesmo que ainda não tenha percebido, você adota algum método de estudo. Revisar a matéria dada, assistir a filmes sobre os temas estudados e fazer resumos são diferentes técnicas de aprendizado. O que você deve se perguntar é se o seu método é o mais adequado.

Para ajudar a ter essa resposta, você deve observar qual o sentido utiliza com mais facilidade. Por exemplo, você aprende melhor ouvindo um podcast ou lendo apostila? Perceba se você é alguém mais auditivo ou visual.

Depois, analise como seu cérebro guarda melhor as informações. Geralmente as pessoas gostam de estudar na véspera da prova. Mas tem aqueles que aprendem melhor quando estudam logo que a matéria é dada.

Busque entender como o processo de memorização é para você. A partir disso, monte seu próprio método de estudo. Una o útil ao agradável, escolhendo uma fórmula eficiente para você.

7. Escolha um lugar adequado para estudar

Você pode ter os melhores livros e apostilas do mundo, porém, se não estudar no lugar adequado, nada terá valido. Dessa forma, procure montar seu canto de estudos. O mobiliário é um item importante a ser considerado. Afinal, não dá para estudar direito deitado na cama, certo? Tenha uma mesa para estudos que seja de acordo com sua altura.

Também pense em escolher um local que tenha poucas (ou zero!) distrações. Estudar vendo televisão ou olhando o celular não vai render a você bons pontos na prova. Prefira um local onde há apenas os objetos necessários e o material de estudos.

8. Pratique atividades físicas

Muita gente fica pensando que enquanto faz uma corrida poderia estar memorizando fórmulas de matemática. Mas essa lógica não é justa. Isso porque praticar atividades físicas tem efeito benéfico para os estudos.

Sabe-se que os exercícios melhoram a memória e o raciocínio lógico, já que as ligações neuronais responsáveis pela transmissão de informações aumentam com a prática de exercícios. Em temos práticos, as células cerebrais ficam mais bem desenvolvidas, o que faz a mente se manter ativa e jovem.

Além disso, exercícios físicos melhoram a concentração, pois corrida, natação e outras práticas esportivas ajudam a desenvolver reflexos mais apurados. Essa característica faz aumentar o foco na realização de atividades escolares ou acadêmicas.

9. Durma bem

Muita gente acha que dormir é uma perda de tempo, mas esse descanso é essencial para qualquer rotina de estudos. Isso porque, durante o sono, as matérias são assimiladas de maneira mais duradoura. Quem dorme bem está com a mente apta para receber novas informações e memorizá-las mais facilmente. E a falta de dormir é um dos fatores de estresse e irritabilidade, prejudicando muito a concentração e o raciocínio.

Existem pessoas que se sentem restauradas com seis horas de sono, outras com oito ou um pouco mais. Tudo depende do organismo de cada um. O ideal é que você perceba isso naturalmente.

10. Use a tecnologia a seu favor

Muitos acreditam que o uso do celular atrapalha os estudos, entretanto, existe uma maneira de usar essa ferramenta para incrementar a sua rotina de estudos.

Existem muitos aplicativos excelentes, criados justamente para ajudar as pessoas a organizarem os seus dias, como Evernote, Trello, Wunderlist, Todoist, Google Keep, entre outros. Se você tem dificuldade de seguir a sua rotina de estudos, esses aplicativos podem ser a solução para os seus problemas.

Existem aplicativos que também ajudam na hora de estudar. Para quem quer aprender inglês, por exemplo, o Duolingo e o Babbel são ótimas opções. Já o aplicativo Ortografa! ajuda os usuários a aprenderem mais sobre as novas regras ortográficas da língua portuguesa. Enfim, há diversos tipos de aplicativos voltados para todas as matérias.

É importante ressaltar que esses aplicativos não substituem um curso ou as aulas da sua escola. Eles são ótimas ferramentas para serem usadas em associação com a escola. Portanto, nada de ficar usando apenas os aplicativos e não se dedicar à escola!

Essas foram algumas dicas de como se organizar para estudar.  É importante destacar que nem sempre vai dar para você aplicar todas essas sugestões ao mesmo tempo e no mesmo dia. Faça gradativamente.

Comece pensando em organizar os espaços de estudos. No outro dia, concentre-se em definir o método de estudos. Assim sucessivamente, até que você consiga encontrar uma rotina de estudos satisfatória e eficiente.

Gostou das nossas dicas? Gostaria de ler outros artigos sobre vestibulares e a vida universitária? Então assine a nossa newsletter agora mesmo para receber em primeira mão conteúdos relevantes como este.

Posts relacionados

Deixe um comentário