Vida de Estudante

Descubra como renegociar a dívida do seu financiamento estudantil

O Fundo de Financiamento Estudantil (FIES) abre muitas portas para quem deseja fazer um curso superior, mas não tem condições de bancar os estudos e pagar as mensalidades em uma faculdade particular. O programa do governo federal, criado em 1999, oferece oportunidades a juro zero ou taxas baixas para estudantes de menor renda. 

Além disso, o programa facilita a devolução do valor do financiamento e determina que, se o beneficiário estiver empregado, deverá iniciar o pagamento após o término do curso e com um prazo de 14 anos para conclusão. No entanto, mesmo nessas condições, algumas pessoas se enrolam com as prestações e acumulam dívidas.

Dessa forma, preparamos para você um post com o passo a passo para renegociar a dívida do seu financiamento estudantil. Não perca!

Quem pode renegociar dívida de financiamento estudantil?

Seis em cada 10 brasileiros que usaram o benefício do Fundo de Financiamento Estudantil estão com parcelas em atraso. O governo calcula que 517 mil contratos tenham parcelas vencidas e, juntas, elas somam mais de R$ 2 bilhões. Para evitar que esse montante aumente ainda mais, o Ministério da Educação anunciou, em novembro de 2018, as condições para a renegociação de dívidas do FIES.

Para ser beneficiado com essa medida, o cidadão deve ter atrasado o pagamento das parcelas em pelo menos 90 dias. Além disso, deve estar dentro do período de amortização e não pode ter sido alvo de nenhuma ação judicial por parte do agente financeiro. Essas novas regras são válidas para quem tem financiamentos feitos até o segundo semestre de 2017.

Com as novas regras, os beneficiários do FIES têm duas diferentes opções. A primeira delas é o reparcelamento, que permite à pessoa estender o prazo para o pagamento dessa dívida em até 48 parcelas mensais. A outra opção seria o reescalonamento. Nesse caso, o cidadão pode diluir o valor que está atrasado nas parcelas que ainda estão para vencer. No entanto, a renegociação da dívida implica no pagamento de uma parcela de entrada que deve ser, no mínimo, 10% do valor da dívida e, no máximo, R$ 1 mil.

Como pedir a renegociação da dívida?

Agora que você já sabe quais são as regras para pedir a renegociação da dívida, veja como fazer a solicitação.

Acesse o site

Para fazer o pedido, entre no site do Sistema Informatizado do FIES. Você deve informar os seus dados e solicitar uma nova senha. Depois, vai receber um e-mail de confirmação. Clique no link enviado e digite o CPF. Com essa etapa pronta, haverá um direcionamento para a página da renegociação.

Escolha o prazo

Nessa etapa, você vai poder escolher um novo prazo para fazer o pagamento. Nela também é possível fazer uma simulação da renegociação da dívida. Você verá o valor e o número máximo de parcelas de acordo com a situação do seu financiamento. 

Em seguida, você deverá escolher o total de meses que deseja fazer a simulação para que o site faça o cálculo. Se estiver de acordo, basta imprimir os documentos, que são: Regularidade para Alongamento de Amortização (DRA) e Declaração de Desistência ou Inexistência de Ação Judicial.

Vá a uma agência bancária

Esse é o último passo do pedido de renegociação da dívida do financiamento estudantil. Além dos documentos que você imprimiu, leve o seu RG e o CPF, além de um comprovante de residência — seu e do fiador — e de renda — também de ambos — à agência bancária onde o contrato foi feito. Lá os novos termos serão assinados.

Viu como é fácil pedir a renegociação da dívida do seu financiamento estudantil? Se estiver dentro das novas regras estabelecidas no ano passado, ficará fácil estabelecer novo prazo para o pagamento e valores das parcelas. Dessa forma, você poderá quitar a sua dívida e continuar a pensar no desenvolvimento da sua vida profissional.

Se conhece alguém que ainda pensa em conseguir o FIES, saiba como em quatro passos práticos! Até a próxima!

You may also like
Segunda Jornada de Medicina de Urgência do UNIFACIG – JOMU 2019
Alunos do curso de Medicina UNIFACIG participam do Gastrominas 2019 e 14º Workshop Internacional de Endoscopia Digestiva
Prática jurídica: entenda sua importância na faculdade

Deixe seu comentário

Seu comentário*

Nome*
Site

Share This