1ª Feira conclama pacto social pelo Terceiro Setor: união de esforços, construção de sistemas de apoio e fortificação das entidades são agendas definidas.

4 minutos para ler

Após a exibição de um vídeo de apresentação, reuniu-se em uma mesa de debates grandes nomes da história das entidades do Terceiro Setor em Manhuaçu, o Pastor Sérgio Veiga, Presidente da Divisão de Assistência, Recuperação e Educação Interdenominacional (DAREI), Ana Laura de Oliveira, representando a Fundação Manhuaçuense de Promoção Humana (FUMAPH), Antônio Teodoro Dutra, representando o SENAR, Álisson Sad, pela da Incubadora de Entidades, Alexandre Morato, representante do Ministério Público do Estado de Minas Gerais e Mariley Batista, Vereador e pela Câmara Municipal. A mediação da mesa de debates foi realizada pelo Coordenador do curso de Direito UNIFACIG, Igor de Souza.

Uma das discussões centrais foi a história e os desafios enfrentados na constituição do Terceiro Setor, o depoimento do Pastor Sérgio emocionou os ouvintes ao tocar no amparo às crianças de rua em sua casa. Antônio Teodoro lembrou a criação da FUMAPH e outras entidades, citando atores importantes neste processo, como o médico Luiz Prata. Ana Laura falou e Álisson Sad falaram sobre futuro, sobre as perspectivas do Terceiro Setor e formas estratégicas de atuação. Mariley Batista chamou atenção para a importância de cada entidade, da necessidade de participação e da transformação social.

O Promotor de Justiça, Alexandre Morato colocou em debate a atuação das entidades como forma complementar para auxiliar o Estado na promoção de direitos. A mesa contou ainda com a participação de Sônia Maria de Oliveira, Oficial do Cartório de Títulos e Documentos e Civil das Pessoas Jurídicas, que ponderou a importância da regularização jurídica e documental das entidades.

Diversas entidades foram representadas no evento, de bairros, cultura, educação, saúde, artes, do Movimento Negro, de proteção ambiental, gestão urbana, promoção de direitos, geração de renda, entre outras. A Feira contou com exposição de produtos do Centro de Apoio à Família (CAF) da Associação de Proteção e Assistência aos Condenados (APAC) e da Associação Manhuaçuense de Artesãos (AMA).

A Feira seguiu durante todo o sábado. Às 13 horas, Cintia Matos, Presidente da Associação de Mulheres do Café da região das Matas de Minas e Caparaó (AMUC) falou sobre o alcance da entidade, a fortificação do Terceiro Setor com a participação integralizada da mulher, bem como a realização de parcerias na construção de um projeto coletivo.

Às 14 horas, a Pró-Reitora de Ensino e Aprendizagem do Centro Universitário UNIFACIG discutiu a formação de lideranças no Terceiro Setor, abordou estratégias para a constituição de novos atores, de mobilização e engajamento nas entidades. Natália deu grande enfoque nas habilidades e competências emocionais e nas relações sociais, falou sobre e o impacto destes aprendizados nos projetos do Terceiro Setor.

Por fim, o evento contou com três oficinas para esclarecimento de dúvidas, orientação e apoio ao Terceiro Setor, Oficina de regularização contábil, Oficina de Gestão e Planejamento e de Regularização Jurídica.  

Para uma das organizadoras do evento, Isabelle Bríssio, Coordenadora dos cursos Gerenciais UNIFACIG, o evento se transformou em um ponto de encontro para as entidades, “foi fundamental para o Terceiro Setor, Manhuaçu precisava deste evento em sua agenda, emocionou!”.  

Carolina Baraky Breder e Moacir Vieira, integrantes da Incubadora de Entidades e organizadores do evento, comentaram a motivação que o evento gerou, “foi um dia incrível, nos dará energia para alavancar o Terceiro Setor. A Incubadora se coloca à disposição para auxiliar em diversos processos e atividades”.

Como um dos idealizadores do evento, o Coordenador do curso de Direito UNIFACIG, Igor de Souza, prontifica o Núcleo de Práticas Jurídicas (NPJ) para todo o apoio necessário e relembra da importância da Escola do Terceiro Setor na construção de uma rede de apoio para auxiliar no crescimento, na gestão e no desenvolvimento das entidades. Carlos Henrique Cruz, Diretor da Câmara Municipal, falou sobre a diversidade presente no evento, das múltiplas representações e segmentos da sociedade presentes.

1ª Feira conclama pacto social pelo 3º Setor: união de esforços, construção de sistemas de apoio e fortificação das entidades ...
Posts relacionados

Deixe um comentário